Por uma saúde antirracista

25/10/2021
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Por meio desse texto, eu venho sugerir a leitura de duas publicações diferentes porque elas se complementam de forma precisa. A primeira é uma reportagem de setembro deste ano veiculada no G1 “Negros morreram quase duas vezes mais de Covid- 19 do que brancos no Itaim Bibi em 2021, diz pesquisa”. Ao longo do texto são apresentadas informações acerca da brutal diferença na quantidade de mortes de pessoas negras e pessoas brancas por covid-19 mesmo quando vivem em condições econômicas semelhantes. Em um dos trechos, um entrevistado afirma “Isso mostra que essa questão racial está impregnada na nossa questão social. Isso é um dado grave e deveria levar a ações que considerem a questão racial nas suas estratégias, seja na saúde, [seja] na educação”. 

É nesse contexto, que recomendo a segunda leitura, um artigo publicado em 2020 na Revista Brasileira de Educação Médica intitulado “Reflexões para uma Prática em Saúde Antirracista”, no qual os pesquisadores envolvidos buscam caminhos para que a saúde, tanto no nível educacional, quanto no nível prático, passe a ser exercida tendo em conta as vulnerabilidade da população negra no Brasil. Os acadêmicos o fazem através de uma breve revisão histórica do racismo na sociedade brasileira desde a estrutura escravocrata iniciada no século XVI, de dados contundentes acerca da realidade da população negra frente a pandemia de covid-19 e de críticas acerca da ausência de discussões sobre privilégios e prejuízos raciais e de abordagens racializadas dos processos de saúde ao longo da formação de novos médicos, propondo uma sistematização de questões étnicos-raciais no currículo médico.

Ambas as leituras permitem uma reflexão tangível sobre a necessidade de pensar saúde a partir de diferentes recortes, uma vez que a realidade social das pessoas impacta diariamente a sua suscetibilidade a um grande número de enfermidades. A pandemia de covid-19 apenas catalisou e exacerbou aquilo que já acontecia por aqui: uma estrutura social racista que discrimina o indivíduo dentro e fora de um hospital.

Enviado por Drielly de Souza Lima.

Notícia de Tatiana Santiago disponível no G1: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2021/09/13/populacao-negra-morreu-17-vez-a-mais-de-covid-19-do-que-populacao-branca-no-itaim-bibi-em-2021-diz-pesquisa.ghtml 
Artigo de Borret et al disponível em: https://www.scielo.br/j/rbem/a/WXBd8cr76HZw9MhrcYNwMtP/?lang=pt

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin