Nexo: ‘O movimento antivacina é também um efeito da hiperinformação’

28/10/2021
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Nexo Jornal conduz uma entrevista com Laurent-Henri Vignaud, historiador da ciência na Universidade de Bourgogne, que estuda as tendências antivacina ao longo da história. Vignaud destaca que os movimentos antivacina não são um fenômeno exclusivamente contemporâneo e que estudar esse fenômeno numa perspectiva histórica permite compreender mais profundamente suas origens. Para ele, o movimento antivacina hoje tem suas raízes em dúvidas e inseguranças provenientes do excesso de informações: não é somente a ignorância que fundamenta esses movimentos, mas também a incapacidade de compreender explicações complexas da realidade, juntamente a um desgaste dos argumentos de autoridades. Enviado por Maria Eduarda Ogassawala Canever

Notícia de João Paulo Charleaux disponível no Nexo: https://www.nexojornal.com.br/entrevista/2021/10/13/%E2%80%98O-movimento-antivacina-%C3%A9-tamb%C3%A9m-um-efeito-da-hiperinforma%C3%A7%C3%A3o%E2%80%99

Além da notícia, o Consulado da França promoveu um evento com Laurent-Henri Vignaud sobre o mesmo tema, porém o evento foi todo conduzido em francês:

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin