G1: Sem avanço na reciclagem desde 2010, Brasil ainda convive com milhares de lixões a céu aberto

15/11/2021
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

A notícia abaixo revela o cenário crítico relacionado ao tratamento do lixo no Brasil. Ela aponta que, segundo dados fornecidos pela Abrelpe, em 2010, ano da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, apenas 4% do lixo reciclável produzido no país era efetivamente reciclado e que, uma década após, esse cenário não apresentou nenhuma evolução. Ela informa ainda que, atualmente, 40% do lixo produzido no Brasil é destinado a lixões, uma prática ilegal.

A falta de reaproveitamento de materiais recicláveis gera um grande prejuízo ao meio ambiente, ao aumentar a quantidade de resíduos depositados no planeta e a necessidade de maior produção industrial dos materiais em questão. Além disso, a existência de lixões é extremamente prejudicial ao meio ambiente e à saúde pública, já que estes produzem um chorume tóxico, que poluí o solo e os reservatórios de água subterrâneos, além de emitirem gases de efeito estufa, atraírem animais e vetores de doenças, gerarem mal cheiro e gases que favorecem incêndios. Ademais, devido à desigualdade social existente no país, diversos catadores informais procuram tais locais em busca de materiais recicláveis ou reutilizáveis com a finalidade de obter uma fonte de renda, se expondo, sem proteção, a cortes, produtos tóxicos (como herbicidas e metais pesados) e agentes causadores de doenças.

Enviado por Gabriel Araujo Ribeiro

Matéria sem autor definido publicada no G1: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2021/11/14/sem-avanco-na-reciclagem-desde-2010-brasil-ainda-convive-com-milhares-de-lixoes-a-ceu-aberto.ghtml

0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kathleen de Figueiredo
19 dias atrás

Notícia triste demais! Apesar da tecnologia que já existe para a reciclagem desses materiais, não se consegue aplicá-la em todas as etapas da coleta de lixo. Este acúmulo de lixo compromete a saúde ambiental e, consequentemente, a humana e a animal. Essa relação vem desde o Século V a.c, da Escola Hipocrática, com a obra “Sobre os ares, as águas e os lugares”. O meio ambiente é visto como origem e solução dos problemas de saúde. Por isso, ver os dados da baixa taxa de reciclagem e da maioria dos resíduos irem para aterros sanitários, que trazem consequências para o meio ambiente, é desesperador.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin