Checkpoints for vaccine passports: Requirements for governments and developers, relatório de Ada Lovelace Institute

16/09/2021
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Com o avanço da vacinação em diversos países do mundo, governos cogitam implementar sistemas de certificação de vacinação como método de retomada da circulação de pessoas – os chamados “Passaportes de Vacinação”. Esses passaportes visam criar uma separação artificial entre aqueles que podem retomar o contato social e aqueles que não podem, por não estarem (supostamente) imunizados contra a COVID-19. Apesar das boas intenções, no entanto, a proposta não deixa de carregar problemas (como a possibilidade de contaminação de pessoas vacinadas e aumento da circulação do vírus), e quanto mais nos aproximamos da implementação de fato dessas políticas, mais devemos questionar se esses passaportes são realmente eficazes. O Ada Lovelace Institute, um instituto de pesquisa em ciência e tecnologia, elaborou um relatório de 110 páginas para governos, especialistas legais, especialistas tecnológicos e sociedade civil sobre vantagens e desvantagens de passaportes de vacinação. Enviado por Nathanael Rolim Duarte

Relatório disponível em: https://www.adalovelaceinstitute.org/wp-content/uploads/2021/05/Checkpoints-for-vaccine-passports_requirements-for-governments-and-developers_Ada.pdf

4 1 vote
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daiane Carolina
13 dias atrás

Os passaportes de Vacinas parecem ter o mesmo efeito das proprias vacinas. Diminuir a percepção de risco das pessoas, pensar que a contaminação parou de ocorrer, e assim começar a criar um comportamento que aumenta o risco real de contaminação.
Então e necessario criar uma forma de a percepção de risco não cair totalmente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin