Dados sugerem queda de nascimentos no Brasil 2° semestre de 2016; zika pode ter tido impacto

Após relatos de que o número de mulheres nas maternidades do Recife estava diminuindo, no segundo semestre de 2016, a pesquisadora da UFPE Sandra Valongueiro, juntamente à pesquisadora Leticia Marteleto, do Centro de Estudos de População da Universidade do Texas, passaram a investigar se haveria alguma relação entre essa tendência e a zika. O professor Fredi Alexander Diaz Quijano, da FSPUSP, também passou a estudar os nascimentos no Brasil em 2016.

A pesquisa do G1 oferece um infográfico que mostra que, após julho de 2016, nove meses após o início da emergência do por zika e microcefalia no país, havia cerca de 240.245 nascidos vivos no Brasil, enquanto em novembro do mesmo ano, o número caiu para 199.322.  A queda é mais significativa em estados que registraram maiores casos de zika e microcefalia.

Esses números, porém, ainda não englobam todos os nascimentos ocorridos em 2016, visto que há um lapso de tempo entre o nascimento, o registro e o dado que será cadastrado no sistema nacional – embora em estados como Pernambuco os registros posteriores dificilmente seriam capazes de reverter a tendência.

Existem outros fatores que podem explicar a queda, como a situação política e econômica do país. De todo modo, de acordo com Leticia Marteleto: “Tanto a crise econômica quanto a crise política podem entrar como fatores associados. Por outro lado, tem o fator zika, não se pode tirar o papel da zika”.

A epidemia da zika impactou não só mulheres dos Estados mais afetados, mas de todo o Brasil, incutindo o medo de engravidar independentemente da classe social, segundo Letícia. Em conversa com mulheres do Recife, Letícia observou que a proximidade da doença as assustava de maneira profunda.

A questão tem reflexos no aborto: um estudo publicado na revista “The New England Journal of Medicine”, em 2016, apontou que no Brasil, após o anúncio de emergência, a procura por remédios abortivos aumentou em 108%.

Link da notícia: http://g1.globo.com/bemestar/zika-virus/noticia/dados-sugerem-queda-de-nascimentos-no-brasil-no-2-semestre-de-2016-zika-pode-ter-tido-impacto.ghtml

Enviado por Victor Pavarin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s