Casos de dengue crescem 240% no País em relação a 2014; SP já vive epidemia

DennyCesare/Código19/Estadão Cónteúdo

DennyCesare/Código19/Estadão Cónteúdo

UOL – Fabiana Marchezi

O número de casos registrados de dengue no Brasil em 2015 já é 240% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. Até o dia 28 de março deste ano, o País registrou 460,5 mil casos da doença, enquanto no ano passado, no mesmo período, foram 135,3 mil casos. O balanço, divulgado nesta segunda-feira (13) pelo Ministério da Saúde mostra que, em média, 215 brasileiros contraem dengue por dia.

O número de mortes por complicações da doença também avançou 29% em relação ao mesmo período do ano passado. Neste ano, 132 pessoas já morreram por causa da dengue. Em 2014, foram 102.

Entretanto, se os números forem comparados com 2013, houve redução tanto no número de casos quanto no de mortes. Naquele ano, foram contabilizados 730,8 mil casos e 278 óbitos na mesma época.

São Paulo

Com 257.809 casos confirmados, São Paulo concentra mais da metade dos casos do País. O número é quase 700% maior que o mesmo período do ano passado, quando 35 mil pessoas foram infectadas.

Com isso, o Estado já tem 585 casos para cada 100 mil habitantes, o que o coloca em situação de epidemia. Para a Organização Mundial da Saúde, a cada 300 casos registrados em um universo de 100 mil habitantes já configura epidemia. O Estado também é o maior no número de mortes: 99. No ano passado, foram 15 óbitos no mesmo período. Em 2013, o Estado também viveu uma epidemia da doença.

Os municípios com maior taxa de incidência, ou seja, maior número de casos em comparação à população, em São Paulo, são Trabiju, com 14.303 para 100 mil habitantes; Paraguaçu Paulista, com 13.738/100 mil habitantes; Estrela D’Oeste, com 11.513/100 mil habitantes e Florínia, com 9.039/100 mil habitantes.

Ainda segundo o balanço do Ministério, os estados do Acre, Goiás e Mato Grosso do Sul também enfrentam epidemia. A região Centro-Oeste apresenta maior incidência de casos, com 393,3/100 mil habitantes (59.855 casos), seguida pelas regiões Sudeste com 357,5 /100 mil habitantes (304.251 casos), Norte com 112,4/100 mil habitantes (19.402 casos), Nordeste com 91,2/100 mil habitantes (51.521 casos), e Sul com 88,8/100 mil habitantes (25.773 casos).

Recursos

Para tentar conter o avanço da doença, o Ministério repassou um recurso adicional de R$ 150 milhões a todos os estados e municípios brasileiros. Os recursos são exclusivos para qualificação das ações de combate aos mosquitos transmissores da dengue e do chikungunya, o que inclui a contratação de agentes de vigilância.

Do total repassado, R$ 121,8 milhões foram para secretarias municipais de saúde e R$ 28,2 milhões às secretarias estaduais. O recurso adicional é exclusivo para ações contra dengue e chikungunya e não possui caráter permanente.

Os recursos são repassados via Fundo Variável de Vigilância em Saúde e o valor representa um subsídio de 12% do valor anual do Piso Fixo de Vigilância e Promoção da Saúde, de R$ 1,25 bilhão. Para o Estado de São Paulo, o mais afetado pela doença, o órgão enviou 28,6 mil litros de inseticida para o combate às larvas do Aedes Aegypti, além de materiais como kits diagnósticos, guias e manuais de manejo clínico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s