Idec solicita apoio do governo brasileiro para a discussão sobre uma Convenção Global para promoção e proteção da alimentação saudável

IDEC – O Instituto encaminhou uma carta ao governo solicitando o apoio à urgente ação internacional para o enfrentamento da ascensão das doenças crônicas relacionadas a alimentação

A necessidade de uma ação global para proteger e promover alimentação saudável nunca foi tão urgente. Hábitos alimentares não saudáveis são uma ameaça cada vez maior para a saúde global. Por isso, o Idec solicitou que o Governo Brasileiro assuma a liderança na discussão em prol da saúde da população, de acordo com as “Recomendações para uma Convenção Global para Proteção e Promoção de Dietas Saudáveis”, lançadas pela Consumers International e pela World Obesity Foundation em maio de 2014.

“Avaliamos que é urgente e necessária a discussão sobre uma Convenção Global, que criaria um programa internacional coordenado de atividades necessárias para enfrentar esta crise de saúde pública, a exemplo da bem sucedida Convenção Global sobre o Tabaco”, explica a nutricionista e pesquisadora do Idec Ana Paula Bortoletto.

A carta encaminhada ao Ministério da Saúde solicita que o governo brasileiro contribua para:

• Inclusão da discussão sobre uma Convenção Global na ordem do dia na próxima reunião regional da OMS para as Américas, que será realizada em Washington (EUA) entre 29 de setembro e 3 de outubro de 2014.

• Inclusão no documento de compromisso político da Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2), que será realizada em Roma em novembro de 2014, do compromisso de desenvolver uma Convenção Global para Proteção e Promoção de Dietas Saudáveis.

Acesse a carta na íntegra aqui.

Enfrentamento de doenças crônicas não trasmissíveis

Na Assembleia Mundial da Saúde em maio de 2014, a Consumers International e a World Obesity Foundation (Fundação Mundial de Obesidade) lançaram o documento “Recomendações para uma Convenção Global para Proteção e Promoção de Dietas Saudáveis”. As recomendações apontam para um compromisso global de união por parte dos governos para desenvolver políticas que auxiliem os consumidores a fazer escolhas mais saudáveis.

Essas políticas devem incluir medidas que:

• Introduzam um controle mais rígido sobre a comercialização de alimentos pouco saudáveis, incluindo a comercialização entre fronteiras;
• Proporcionem melhor informação nutricional aos consumidores;
• Utilizem ferramentas econômicas para apoiar um alimentação mais saudável.

Estas recomendações tem a intenção de serem tratadas como um projeto inicial. Os Governos nacionais precisam agora seguir em frente com a discussão de uma convenção global.

No Brasil, o excesso de peso já é uma realidade para metade dos brasileiros adultos. Os últimos dados da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) realizada em 2008/2009 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelaram que a prevalência de obesidade no Brasil foi de 12,5% entre os homens e 16,9% para as mulheres. Além disso, 35% da população brasileira já estão com sobrepeso.

Ainda, em 2013, 50,8 % dos adultos das capitais brasileiras estavam acima do peso e, destes, 17,5% eram obesos. Apesar da estabilização na prevalência de obesidade nesse último ano, ainda é fundamental considerar a tendência observada desde 2006 do crescimento dessa prevalência de cerca de 1% ao ano, entre os adultos de ambos os sexos.

Saiba mais:
>Idec apoia tratado global para combater doenças relacionadas à alimentação
>Documento da Consumers International

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s